© LL Contábil Ltda 2015
IMPOSTO DE RENDA 2016. Prazo. O prazo de entrega do Imposto de Renda 2016, referente aos ganhos de 2015, começa no dia 1º de  março e termina em 29 de abril.   Novidades. - O declarante é obrigado a informar o CPF dos dependentes com idade igual ou superior a 14 anos.  - Profissionais de saúde, odontologia e advocacia que recebem rendimentos de pessoas físicas. Esses  contribuintes não poderão mais informar o valor global dos serviços prestados aos clientes, como era feito até  2015. Neste ano, eles passarão agora a informar à Receita o CPF dos clientes para os quais prestaram  serviços especificamente. Quem precisa declarar? - Os contribuintes são obrigados a declarar rendimentos tributáveis (salário, aposentadoria, pensões e dinheiro  ganho com prestação de serviços e aluguel) superiores a R$ 28.123,91.  - Quem obteve receita bruta na atividade rural em valor superior a R$ 140.619,55   - Teve em 31 de dezembro de 2015, a posse ou a propriedade de bens e direitos (imóveis, automóveis ou  ações, por exemplo), de valor superior a R$ 300.000,00   - Rendimentos isentos (como pensões de beneficiários com mais de 65 anos e poupanças), não tributáveis ou  tributados exclusivamente na fonte superiores a R$ 40.000,00.  - Quem obteve, em qualquer mês, ganho na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou  realizou operações de bolsas de valores e de mercadorias, por exemplo, também é obrigado a fazer a  declaração. - Quem optou pela isenção do Imposto Sobre a Renda Incidente sobre o Ganho de Capital auferido na venda  de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados  no País, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contados da celebração do contrato de venda.  O que pode ser deduzido? - Despesas médicas e com educação continuam sendo passíveis de dedução. Para isso, você deve estar  sempre munido dos recibos e documentação que comprovem a efetiva prestação do serviço, como receitas,  exames e notas fiscais, fornecidas por hospitais, clínicas e escolas. Guarde todos os recibos e boletos.  - Despesas médicas podem ser deduzidas integralmente, enquanto as deduções com dependentes estão  limitadas, este ano, a R$ 2.275,08, por dependente. O limite individual anual das despesas com educação  passou de R$ 3.375,83 para R$ 3.561,50.  - Despesas com contribuição à previdência complementar limitada a 12% da  renda bruta anual tributável,   também constam na lista de deduções e seu valor não sofreu alterações, ao contrário da dedução com  empregada doméstica, hoje de até R$ 1.182,20  Quem pode ser considerado dependente? Segundo as regras do Imposto de Renda, podem ser considerados dependentes: companheiro com  quem o contribuinte tenha filho ou viva há mais de 5 anos, ou cônjuge; filho ou enteado, até 21 anos de idade,  ou, em qualquer idade, quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho; filho ou enteado, se ainda  estiverem cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau, até 24 anos de  idade.  Declaração simples ou completa?  De acordo com o a Receita Federal, de maneira geral, o contribuinte que tem muitas despesas  dedutíveis deve optar pelo modelo completo, que permite maior abatimento do Imposto de renda.   Por outro lado, o contribuinte que não tem muitas despesas para deduzir - como gastos com plano de  saúde, educação e dependentes -, deve optar pelo modelo simplificado. Nele, são somados todos os  rendimentos tributáveis recebidos ao longo do ano e sobre este valor é concedido um desconto de 20% sobre  a base de cálculo do imposto, limitado a R$ 16.754,34.  Se a soma total das deduções exceder o limite de R$ 16.754,34 do modelo simplificado, a melhor  opção é fazer a declaração completa.  15 documentos importantes para ter em mãos: 1- Cópia da declaração entregue em 2015 (ano-calendário 2014)  2- Informes de rendimentos de instituições financeiras, bem como de salários, pró-labore, distribuição de  lucros, aposentadorias etc. 3- Controle de compra e venda de ações, com apuração mensal de imposto  4- Recibos e notas fiscais relativos a despesas com saúde  5- Comprovantes de despesas com instituições de ensino  6- Recibos de pagamentos à previdência privada e oficial  7- Recibos de aluguéis pagos ou recebidos  8- Documentos que comprovem venda ou compra de bens em 2015  9- Recibos de pagamentos de prestação de bens como imóvel e carro  10- Documentos comprobatórios de dívidas assumidas em 2015  11- Comprovantes de despesas do livro-caixa (para prestadores de serviços autônomos) 12- Darfs de carnê-leão pagos 13- Comprovante de doações para fins de incentivos fiscais (Fundos da Criança e do Adolescente, Lei  Rouanet, Audiovisuais etc.)  14- Todos os documentos acima referentes a dependentes, além do número do CPF de dependentes a partir  de 14 anos e de todos os alimentandos  15 – Dados da conta bancária para restituição ou débito das cotas do imposto  Artigos Anteriores  Brasil ID